Apenas 4% dos Brasileiros se Preocupam com o Futuro

Jovens acreditam que tudo vai dar certo

Pois é, o pior é que é bem assim. O Brasileiro não se preocupa com o amanhã, principalmente os jovens. A coisa mais comum hoje é ver famílias endividadas, dos pais aos filhos, ou como costumo dizer em meus cursos, o Brasil está repleto de famílias desestruturadas financeiramente.

Os jovens de hoje são reflexos de uma geração que cresceu vendo seus pais usando limites de cheque especial, pagando o mínimo no cartão de crédito, comprando tudo parcelados em lojas; e os filhos nada mais são do que o espelho dos pais. Sinceramente me preocupo com essa situação, já que nas escolas e pasmem tão pouco nas universidades os filhos não são preparados para administrar bem as finanças.

Um levantamento do Banco Mundial mostra que o Brasil é um dos países em que o hábito de economizar é mais fraco. Apenas 4% dos brasileiros poupam. Ou seja, em cada 100 brasileiros apenas 4 tem o hábito de investir. Isso explica o alto índice de endividamento do brasileiro que passa de 64%.

Em entrevista para a Folha de SP(08/01/2017 – Caderno Mercado) A Jovem Fádua Silva de 28 anos declarou que “sou um extremo, mas há uma tendência da minha geração de guardar menos dinheiro e acreditar que tudo vai dar certo. Se der errado a gente sempre pode correr para a casa dos pais” – perceba que a declaração dessa jovem deixa nítida a falta de educação financeira e o despreparo das pessoas(pais e filhos) na administração e planejamento financeiro familiar. As pessoas não pensam no futuro.

Ah, e não me venha com desculpas esfarrapadas, por favor. Isso não é questão de pobreza, mas de cultura, pois pessoas com rendimentos altos também não poupam. Países com um PIB per capita menor, como Congo, Maláui e Togo aparecem à frente do Brasil no ranking, segundo matéria publicada. Para se ter uma ideia, o PIB no Brasil em 2015 foi US$ 15,4 mil, semelhante ao da Tailândia, país onde 60% das pessoas poupam para a velhice. Na Malásia, 54% poupa para a velhice. Em Portugal são 28% e no México são 21%.

Sem dúvidas esse é o legado de um período de inflação descontrolada dos anos 90, já que na época mal era possível planejar as contas até o final do mês. Esse período se foi, mas os hábitos errados de administração do dinheiro ficaram.

Estudos indicam que mesmo os mais ricos e escolarizados ignoram conceitos básicos de economia e também não fazem reservas.

Endividamento em períodos de crise

Quem não tem reserva financeira obviamente sofre mais em períodos de crise, afinal quando o cinto aperta a única alternativa é recorrer ao famigerado sistema bancário e seus juros abusivos, entrando em limites de cheque especial, pagando o mínimo no cartão de crédito, fazendo empréstimos consignados para suprir as necessidades financeira da família. Esse pode ser um caminho sem volta, tome cuidado, e procure ajuda especializada para sair dessa, já que a cada renegociação de dívida a sua situação piora cada vez mais. E quem paga juros não realiza sonhos.

Quem ama cuida

Qual o futuro da sua família? Como querem estar daqui 10 anos?

Você precisa aplicar o conceito de inteligência financeira na sua vida, você precisa implantar inteligência financeira na sua família, e para isso você pode contar com o nosso curso de finanças para casaisCa$amento& Dinheiro. São 7 horas de curso aos sábados onde conceitos de inteligência financeira serão passados numa linguagem clara e objetiva pelos consultores financeiros Marcelo Segredo e sua esposa Nara Segredo.

E depois do curso?

Nós somos muito detalhistas e também pensamos nisso. Depois do curso você terá seções de Clínica Financeira com os consultores, que irão implantar na sua vida todos os conceitos do curso. Nós literalmente vamos pegar na sua mão e fazer a mudança acontecer. Nosso foco é trazer tranquilidade financeira e qualidade de vida. Pense nisso.
Inscrições Abertas – Vagas Limitas.

inscrições pelo site casamentoeodinheiro.com.br

Compartilhar