COMO A REFORMA TRABALHISTA PODE AJUDAR NA RECUPERAÇÃO DE EMPRESAS

COMO A REFORMA TRABALHISTA PODE AJUDAR NA RECUPERAÇÃO DE EMPRESAS

A Reforma Trabalhista entrou em vigor em dezembro do ano passado. Após muitas polêmicas sobre o seu conteúdo e muitas opiniões divergentes sobre o mesmo assunto, especialmente no tocante à aplicação das novas regras, fato é que a mudança já é uma realidade na vida dos brasileiros. Detalhe é que a introdução dessa legislação introduz um novo conceito nas empresas, ainda mais quando se tratar de médias e de pequeno porte. Agora, cabe ao empresário adotar as medidas necessárias que podem e devem ter reflexo positivo no aspecto econômico.

Primeiramente, com relação à jornada de trabalho. Há a possibilidade de negociar os salários por hora, ou por dia, substituindo a obrigatoriedade dos salários mensais. Além disso, tempo de alimentação ou o transporte até a empresa não contam mais como horas trabalhadas. Resultado: o empregador vai pagar pelo que o empregado efetivamente trabalhar.

Um adendo importante, é a possibilidade do famoso home office (quando o funcionário trabalha em casa), que não tinha previsão específica na antiga lei e com a reforma passa a ter sua atividade regulamentada. Tanto o empregado quanto o patrão podem definir, em comum acordo, como ficariam os gastos referentes à luz, internet e água, utilizadas pelo empregado que trabalha em casa. Dependendo da forma como o contrato for elaborado, o empregado pode reduzir custos com o seu funcionário.

No tocante às férias, houve também uma flexibilização. Continuam os mesmos 30 dias de descanso remunerado, mas que agora podem ser divididos em até três períodos. Ou seja, empresas de pequeno e médio porte que tenham poucos funcionários, podem regular a ausência do empregado por um tempo mais curto.

Um dos tópicos mais importantes e uma das práticas mais comuns articuladas pelas empresas hoje em dia é a terceirização. Agora, todos as atividades do negócio da empresa podem ser terceirizadas. A vantagem é que o contrato da empresa é com a terceirizada. Supondo que um funcionário venha a faltar, a empresa contratada deve providenciar a reposição.

O que os administradores das empresas precisam compreender é que estamos vivendo um momento de atualização. Saber utilizar as regras em favor do negócio é fundamental para a superação do momento de recessão econômica que aflige o país. Não aceitar ou ignorar as mudanças, significa necessariamente estar um passo atrás daqueles que têm um mínimo de visão de mercado.

Compartilhar