A assessoria empresarial em sp afirma que a venda de cartão de crédito aumentou consideravel

Aumentam as vendas em cartões de crédito, mas e as dívidas?

Segundo estimativas da Associação Bras. das Emp. de Cartões de Crédito e Serviços (ABECS), o Brasil  alcançou a marca de  597 milhões de cartões em uso, incluindo os de crédito, débito e das redes de varejo (os private label) no primeiro semestre – um recorde, com crescimento de 10% em 1 ano.

Esses cartões – 5  por adulto, em média – movimentaram R$ 244 bilhões em 6 meses,  21% mais que há um ano,  com 3,3 bilhões de transações; ou seja, média de quase R$80,00 por transação.

Mais de 60% desse total, foram com cartões de crédito, que envolveram R$25 bilhões só em junho; quando os cartões de crédito somaram 145 milhões de unidades,  tendo sido  usados para  244 milhões de pagamentos naquele mês.

A causa do efeito

“Mais de 4/5 dos cartões de crédito, que são 60% do total de cartões, são utilizados para endividamento, postergações dos pagamentos do que se compra; exatamente por falta de dinheiro para pagar à vista.São os consumidores que pagam o total do cartão quando podem mas que, habitualmente, pagam só parte da fatura ou mesmo o mínimo.

Como os juros abusivos dos cartões de crédito variam de 11%  a  estratosféricos 22,08% mensais – contra uma taxa  Selic ANUAL de 10,75%, esses consumidores vão se endividando continuamente e muitos acabam não suportando pagar o que devem.  Veja na imagem ao lado a evolução de uma dívida de um cartão de crédito de um hipermercado.

Em consequência disso, temos 65% de famílias endividadas na Grande São Paulo. Em última análise, o vigor do varejo brasileiro baseia-se em endividamento, cada vez mais com os cartões de crédito, que extorquem o consumidor e o levam a parar de pagar”.

Porque os bancos reduzem as dívidas somente com ação judicial?

Por mais incrível que possa parecer essa é uma pergunta muito simples de responder.  Ocorre que menos de 1% da população tem conhecimento de seus direitos, e os bancos obviamente se prevalecem dessa premissa para continuar cobrando juros escorchantes da população.  Para aqueles que contestam e recorrem, eles aplicam descontos vantajosos tirando o excesso de juros.

Agora tem um detalhe curioso nisso.  Observe que a maioria das operadoras e bancos tem capital estrangeiro, ou seja; são multinacionais que operam em outros países. A grande diferença é que em seus países de origem, eles simplesmente não cometem abusos, tão pouco praticam juros abusivos, isso porque fora do Brasil existe uma legislação rígida que pune duramente excessos.  Mas por aqui…., como é da cultura do povo brasileiro aceitar as coisas de forma silente, sem contestar, reclama aqui, reclama acolá, mas nunca faz nada, fora os escândalos de corrupção em boa parte dos setores públicos, eles se sentem a vontade para continuar agindo dessa forma.

Venho contestado essas abusividades duramente a mais de dez anos, bem como municiando minha equipe com estudos de evolução de juros de mercado e lucros bancários, e para minha grata surpresa parece-me que nossas perícias financeiras tem conseguido atingir o objetivo já que o judiciário começou a entender que realmente os juros praticados no país estão extremamente abusivos.  Em dois casos recentes o judiciário acatou o estudo apresentando e determinou o recalculo dessas dívidas.

Habilmente os bancos recuaram e propuseram acordo evitando assim uma derrota judicial.  Num deles a consumidora Mara teve sua dívida reduzida de R$ 9.542,00 para R$ 278,30, e num outro caso a consumidora Sonia reduziu seu débito de R$ 16.200, para R$ 1.200,00.  Além do emprego de juros fora da realidade, nossa pericia financeira detectou que os cálculos dos juros cobrados nas faturas simplesmente não batiam, e isso acontece em 85% dos cartões, afinal quem é que para calcular a sua fatura?

Pois bem, a tendência é de que a taxa Selic continue a aumentar de forma gradual nos próximos meses, e sendo assim, os juros do cartão também.  Saiba utilizar seu cartão de crédito de forma consciente.  Lembre-se; pagar o mínimo ou parcelar a fatura só vai agravar a situação. Jamais comprometa mais do que 15% de seu salário para pagar dívida. Contra banco é preciso agir com sabedoria, use a sua.

E agora quem poderá nos ajudar?

Como não temos o Chapolim Colorado para nos socorrer, precisamos mudar nossos conceitos e valores, preparando nossos filhos a serem cidadãos mais conhecedores  e exigentes de seus direitos do que nós fomos.  A ditadura militar deixou marcas em nossa sociedade, cujas as sequelas(pacata e amedrontada) são sentidas até hoje.  E passada a ditadura militar, silenciosamente instalou-se no país a ditadura financeira, trouxe consigo a corrupção e a injustiça, desmotivando toda uma geração de contestar o que é errado, exigindo o que é certo, e prova disso temos bem na frente de nossos olhos diariamente, só não enxerga quem não quer.  Não se iluda com essa verdadeira comédia de “Ficha Limpa”, pois conheço muitos de fichas limpas que se dizem defensores do consumidor, que aprovaram leis nos últimos anos que beneficiam apenas o sistema bancário, mas isso é assunto para as próximas eleições.

Como resolver esse problema?

A Marcelo Segredo Assessoria atua a mais de 15 anos no mercado, e somos especializados em contratos bancários e na redução de juros abusivos­. Agende uma consulta com nossa equipe de peritos financeiros, e verifique se realmente tem algo errado em seu contrato e conheça as soluções práticas e seguras que temos a oferecer, sem a necessidade de ações judicias.

Agende a sua consulta agora mesmo e não corra riscos.

Fones(11)2950-4926 / 2971-1971
E-mail: atendimento@marcelosegredo.com.br

Que Deus continue a derramar sobre nós a unção da sabedoria e do discernimento, renovando nossas forças para que cada vez mais tenhamos possibilidades de preparar um futuro melhor para as próximas gerações.

Compartilhar