O problema ocorre quando a empresa passa a ter saldo negativo junto ao banco em outros produtos (cheque especial, empréstimos e financiamentos).

Bancos elevam juros e empresas ficam sem capital de giro

A crise atingiu em cheio o comércio. Mais de 80 mil lojas fecharam no ano passado no Brasil, segundo as contas da Confederação Nacional do Comércio.

Não importa o tamanho da empresa, pequena ou grande, os comerciantes estão penando. Quem não fechou o comércio teve que cortar custos em tudo: energia elétrica, telefone, funcionários. E esse efeito cascata continua, já que 2016 se iniciou com indústrias de segmentos variados também encerrando suas atividades. Mas, aonde foi que eu errei?

Você pode até ter errado em algum momento na administração da sua empresa, mas posso afirmar que você foi induzido ao erro e envolvido pelo mercado bancário predatório praticado no Brasil, entenda como. Muitas empresas se encontram em situação financeira bastante complicada por conta da chamada “conta garantida” oferecida pelas instituições financeiras. É nessa conta que o banco credita todas as vendas feitas através de cartões de crédito e de débito. Essa conta sempre está vinculada a conta corrente, e desta forma o empresário consegue administrar seu faturamento.

Pesquisa feita pela Marcelo Segredo Assessoria Empresarial em Junho, junto a 35 comerciantes da Zona Norte de SP, revela que em média 75% das vendas feitas são pagas através de cartão de débito e no crédito.

O banco bloqueou meu dinheiro – O problema ocorre quando a empresa passa a ter saldo negativo junto ao banco em outros produtos (cheque especial, empréstimos e financiamentos). É nesse momento que o empresário deixa de ter acesso à conta garantida, e quem passa a administrar o dinheiro que entra é o banco. Esse ato é totalmente arbitrário e ilegal, porém largamente praticado pelos bancos, comprometendo de vez a saúde financeira da empresa, já que grande parte do seu faturamento é bloqueado pelo banco para compensar os créditos anteriormente “garantidos”.

Bloqueio de Dinheiro é totalmente ilegal – No entanto, esse bloqueio realizado pelo próprio gerente do banco não tem respaldo legal. Primeiramente porque o empresário tem direito à movimentação dos seus próprios recursos sem a ingerência de qualquer pessoa. Além disso, o bloqueio só deveria ser feito sob ordem judicial, ou seja, não pode ser feito a esmo por instituições financeiras. Portanto, é evidente que esta “manobra” articulada pelos bancos é abusiva em prejuízo do empresário.

Somem-se tais argumentos ao fato de que a empresa tem uma função social a zelar, dentre elas a geração de empregos e desenvolvimento do comércio. Como pode o banco, a seu livre arbítrio, colocar seus créditos em preferencia quando existem funcionários a pagar? O empresário fica sem condições de cumprir com suas obrigações trabalhistas.

Empresário é coagido – Para sair dessa situação o empresário é obrigado a assinar renegociações de dívidas, dar imóveis em garantia, ou ainda oferecer avalistas. A conta garantia somente é liberada se o empresário ceder a essa absurda coação, sem ter a mínima chance de contestar ou negociar reduções de saldo devedor.

Judiciário condena essa prática – é entendimento consagrado dos tribunais brasileiros de que se aplicam aos contratos bancários as regras de relação de consumo contidas no Código de Defesa do Consumidor. A abusividade no uso da conta garantida não pode imperar em prejuízo das milhões de empresas existentes no Brasil que usam desse mecanismo.  Porém o primeiro passo é passar pelo crivo de peritos financeiros especializados em contratos bancários, os quais vão analisar  a documentação e verificar se existe viabilidade econômica ou não para você. E nesse quesito somos experts.

Através de com uma notificação é possível sair dessa cilada, e ainda renegociar as pendências financeiras existentes com reduções significativas. Assessorei o empresário Alessandro B. sócio diretor de uma empresa de tecnologia, que vinha passando por essa situação. Após uma perícia financeira minuciosa, diversas irregularidades foram detectadas.

Agende uma consulta com a nossa equipe.  (11)2950-4926 / 2971-1971.
E-mail: atendimento@marcelosegredo.com.br

 

Compartilhar