Assessoria empresarial em São Paulo o Crédito Rural vai de ilusão ao endividamento

Crédito Rural – Endividamento e Ilusão

Produtores rurais têm buscado incentivos, especialmente junto ao poder público, para formação de um capital social visando o desenvolvimento do seu setor.  A fim de contribuir com o custeio de produção, como a aquisição de propriedades e maquinários agrícolas, os produtores adquirem “créditos facilitados” acreditando no crescimento do seu negócio.

Entretanto, as altas taxas de juros praticadas no mercado fazem com que este objetivo de sucesso financeiro fique apenas “no papel”. Ora, se ocrédito rural fosse uma medida tão eficaz na solução dos problemas, não teríamos tantos produtores rurais endividados como acontece no nosso país.

Em 2012, pelo menos 95 mil agricultores estavam inscritos em Dívida Ativa da União. O governo, por sua vez, quer que os alimentos cheguem baratos à mesa da população brasileira. É óbvio que este produto (alimentação) precisa ser acessível ao povo, mas o poder público precisa criar mecanismos para que isso ocorra sem prejuízo à renda do produtor, o que na prática não acontece.

Muitos dos financiamentos possuem valores indevidos embutidos no contrato. A comissão de permanência, por exemplo, muito utilizada nos financiamentos urbanos, não pode ser exigida em cédula de crédito rural. O efeito desta comissão é o mesmo de qualquer outra cláusula abusiva nas relações de direito bancário, isto é, uma multiplicação do débito tornando-o impagável.

Diante dos problemas que enfrenta essa classe de trabalhadores, a legislação prevê benefícios ao produtor ruralem detrimento de outras classes trabalhadoras. A instabilidade de safra e colheita em relação às demais atividades praticadas por outros setores da economia, bem como a relevância do setor agrícola para o povo, faz com que o crédito rural seja diferenciado sob quaisquer circunstâncias.

O produtor rural tem direito à revisão do valor da dívida com base na legislação vigente e não segundo ascobranças abusivas praticadas pelas instituições financeiras.

Temos assistido à muitos produtores rurais que vem perdendo seu patrimônio para os sistema bancário através deação de execução de dívida e leilão extrajudicial de maquinários.

O caminho para a solução desses problemas é o judiciário onde o produtor rural consegue contestar e afastar as essas cobranças abusivas e compor acordos financeiros que possibilitam o pagamento da dívida dentro de sua atual realidade econômica, sem comprometer o capital de giro de seu negócio e sua subsistência.

Compartilhar