Não é só nos juros abusivos não…

…Bancos também lideram nos casos de assédio moral

De acordo com dados publicados Ministério Público do Trabalho (MPT), das 3 mil denúncias de assédio moral recebidas em 2013, 30% envolvem instituições financeiras.

 

O que é assédio moral?

O assédio moral no trabalho pode ser considerado conduta abusiva no ambiente de trabalho, como gestos, palavras, comportamentos e atitudes, em que fira a dignidade ou integridade moral ou psíquica de uma pessoa.

No caso do banco, o assédio acontece, na maioria das vezes, por conta do medo de perder o emprego, já que são impostas metas quase impossíveis de serem atingidas, obrigando funcionários a fazer horas extras, não equiparação salarial, desvios de função, expondo-os a situações vexatórias e ofensas à dignidade moral.

 

O que fazer em caso de assédio moral no trabalho?

Primeiramente, é importante destacar que, acima de tudo, assédio guarda relação com a saúde da pessoa, tanto na parte física, quanto na parte mental, e podem acarretar em depressão, mal-estar, problemas gástricos, hipertensão, anorexia e outras doenças. Portanto, trata-se de uma questão de saúde, onde se deve buscar ajuda de profissional da área de saúde, como médicos, psicólogos e psiquiatras.

Juntamente com a questão clínica, o assédio jamais será combatido com o silêncio diante da situação. A CLT prevê a possibilidade de demissão por justa causa de agressor de assédio. No caso da vítima, há possibilidade de rescisão indireta do contrato de trabalho e pedido de indenização. Ou seja, sempre há alternativa.

Para essas e outras situações que envolvem as relações de trabalho, consulte um especialista na área para buscar uma melhor solução para o caso. Muitas pessoas sequer têm noção de que estejam sendo vítimas de assédio, em razão de um ambiente desgastante e desumano.

Compartilhar